quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Arde

O dia arde
pela ausência da noite

A pele arde
pela ausência do toque

A chama arde
pela ausência da água

A boca arde
pela ausência do gosto

E de tanto arder
Tornei-me ausente de mim mesma

Até que cheguem

a noite
o toque
a água
e o gosto.



Teresa Azambuya.

(poema escrito em 2008 e reencontrado, por acaso)

Um comentário:

Lívia disse...

Gostei muito do seu blog, vc escreve suavemente bem =)
abs!